quarta-feira, 1 de novembro de 2017

EU VOLTEIIIIII mentira, mas dou dicas ótimas

Resultado de imagem para dicas



Pare tudo o que você estiver fazendo e vai 1- assistir The Handmaid´s Tale (seriado americano que ganhou vários Emmys este ano) e 2- ler o livro The Handmaid´s Tale (aqui acho que é O Conto da Aia). Na dúvida, pode trocar e fazer o 2 primeiro, não tem problema. MAS TEM QUE LER E VER!

Depois não diz que eu não avisei...

Oi genteeeeee, ceis tão bons? Sobrevivendo? Tão entendendo alguma coisa do que está acontecendo? Eu tô fingindo demência faz tempo já! E se você já perdeu também o fio da meada, vem com a tia que tenho VÁRIAS dicas preciosas para vocês ocuparem o tempo de vocês com coisas úteis felizes.

The Handmaid´s Tale (chamarei daqui para a frente de THT, ok?) é um soco no estômago. Quando você vê então que aquilo foi escrito em 1984, você fica a-bis-ma-da. Aquela mulher é vidente? Mãe Diná? E medo, mores? De The Walking Dead e coisas do gênero? Após assistir THT você saberá o que é medo. E ficará constantemente O_O.

Tem situações na vida em que muita gente comenta, quase em tons cult => "isso é muito Black Mirror". Pois agora eu tô como a Emilly Maria Rita e falo "isso é muito THT".

Chega de fazer propaganda, já dei a dica aqui, e de graça... Depois me conta se valeu a pena, e o que você toma para acalmar os pensamentos/sentimentos...

Neste período sabático deste espaço teve leitura e Netflix a rodo. Vocês já leram o Origem, do Dan Brown? Se quiser pega no feriado que você termina ainda no sábado. É bem o estilão consagrado dele: usa umas três linhas de ação e vai alternando cada capítulo de umas 20 páginas entre estas linhas. Sucesso garantido. É meio fuén uma parte, mas o final é para se pensar. E sorrir. Com lágrimas nos olhos (interpretação a cargo do leitor).

E durante a ressaca esperando-a-última-temporada-de-GOT e ainda se recuperando do Dragão de Gelo, acabou que assisti algumas séries legaizinhas. Vi uma que se passa na ISLÂNDIA (sim, gosto de séries, filmes de países "exóticos", me deixa), chamada Trapped. É um suspense/policial, bonzinho. Tem também um chamado Fortitude (esse acho que tem na Fox, Now, algum destes cantos). A história deste é meio blá, mas acho interessante ver o local - foi gravado no norte da Escandinávia. Você já viu também Vikings? Posso dar spoiler e falar que, para mim, Vikings é, primordialmente, sobre religião? Vocês acreditam?

Vi também um filme sobre judeus ortodoxos que resolvem sair da comunidade e os problemas disto. Se chama ONE OF US e tem onde? No NETFLIX, claro! É documentário. É triste. É estranho - para quem não pertence aquele mundo fica bem esquisito. Mas interessantíssimo. Para ver onde, em 2017, ainda estamos.

Você já leu Judas, do Amos Óz? É um pouco longo e cansativo, mas ele levanta alguns questionamentos, quase como uma visão judaica sobre JC. É interessante o cerne, se bem que o autor tem aquela característica de as vezes ser excessivamente apegado aos detalhes, sabe? E isto pode ser cansativo.

Estou relendo um livro sobre os políticos da Suécia, da Claudia Wallin. Saber que lá tem deputado que perdeu o mandato porque comprou um chocolate com cartão corporativo é de rir desesperadoramente de nervoso. Achei por bem reler o bonito, para tentar desviar um pouco da nossa realidade sobre o assunto. Triste isto, mas adelante...

Um livro interessantíssimo sobre o período da ditadura é o livro do Matheus Leitão, filho da Míriam Leitão. Ele escreveu um livro incrível chamado EM NOME DOS PAIS, que relata a busca dele por respostas e pessoas e perguntas do período em que seus pais foram presos políticos. É emocionante, algumas partes tensas e pesadas, você se sente parte daquilo. Vale a pena a leitura de gente que só leu sobre aquilo em livros e as vezes nem isto e fica se questionando por coisa irrelevante. Pena que em e-book não dá para ter autógrafo, né?

Eu também li dois livros da Fernanda Young, lançados este ano (não me lembro agora dos nomes). Sou fã dela, li TODOS. Aliás, eu tenho esta característica: quando gosto de um autor, leio TODOS os seus livros (oi Martha Medeiros, etc). E quando gosto do autor/diretor, vejo todos os seus trabalhos também. Vida social? O que é isto?

Opa, me lembrei agora: House of Cards (que não sabemos se terá uma nova temporada devido aos acontecimentos do Kevin Spacey. Meu, que merda TUDO relacionado a este tópico. E SEMPRE, SEMPRE, SEMPRE, minha solidariedade às vítimas reais). Eu amo/amava Frank Underwood. Não tô sabendo lidar direito com as infos. To be announced como nos sentimos...

E How to Get Away With Murder. Viola como Annelise sim dá calafrios. E ela mente TANTO que nem sei mais. Só sei que quando ela fala a verdade, voilá, ninguém acredita. Mas vale a pena pelo ritmo, e se você ficar muitos dias sem ver você se esquece e tem que voltar. Beijos Annelise!

Li o livro da Rita Lee. Nem sou mega fã dela, mas a respeito e ainda mais após a leitura (quem leu vai saber exatamente de que parte eu falo). Um beijo, sua linda... E sim, você fez muitas pessoas felizes. 💓

Gente, tem mais coisa, mas acho que já deu, né? Deu para perceber que, apesar de não estar vindo aqui, tive um período muito produtivo (e das dicas aqui não dei nem metade). Vi e continuo observando o povo debatendo o que é ou não cultura, se é biscoito ou bolacha, leio jornais também, mas aqui é um local de desabafo e, quem sabe, dicas para quem não sabe o que ver/ler. (e sim, tenho esperança que o Netflix me patrocine um dia! Acho que seria meu emprego dos sonhos: ser paga para comentar séries ou livros. êêê vidão...).

Para terminar, uma frase que ouvi no canal da Jout Jout: SE OCUPE DE MEDOS REAIS.

E desejo a todos dias maravilhosos, até o próximo post!

Beijos do gordooooooooooooo.

sábado, 26 de agosto de 2017

sobre fazer aniversário ou os limões que a vida nos dá

(Nem quero ver quando foi o último post aqui para não ficar mais SHAME que a Cersei de GoT.)

BOM DIA, GENTE! Voces estao bem? Já aviso que este teclado tem vida propria e os acentos e pontuacoes estao tudo sumidos ou sejeeeeee, faremos a famosa limonada com os limoes ofertados pelo teclado.

Posts com lapsos temporais gigantescos - como os ofertados neste espaco virtual - levam a uma situacao mezzo ok mezzo desagradavel -> a quantidade de assuntos a serem discutidos/comentados/vomitados é gigantesca. Dai a escolha de Sophia fica entre Fazer-post-sobre-tudo x Escolher-um-tema-e-se-jogar. O que faremos aqui, hoje?

Quero iniciar pedindo para você se inscrever no canal, dar clique, curtir, etc. HAHAHAHA EU SEMPRE RIO DISTO! (se você não entendeu, entre em um canal do YouTube que invariavelmente, no decorrer de qualquer video que voce esteja assistindo, estas palavras acima mencionadas serao faladas!).



Amores, a titia fez aniversário. De presente? Peço SAÚDE! Depois de um tempo você percebe que a única coisa realmente NECESSÁRIA é saúde. O resto a gente dá um jeito! Sem saúde, NADA ou NENHUM dos outros itens importa. Então, mentalize nest emomento SAÚDE para a titia aqui e já aproveita e mande energias de saúde para todos os que vocês querem bem! E, desde já, agradecida!

Fazer aniversário é algo FANTÁSTICO para alguns, que começam a comemorar um mês antes e só terminam quando o próximo já está chegando. Tudo bem ser assim (só imagino que deve ser um pouco exaustivo isto, mas isto talvez seja reflexo da minha idade avançada e o cansaço inerente que vem atrelado a isto). Outros ficam meio borocoxôs, pensando na vida, tem gente que passa e nem viu direito que era aniversário dele até que alguém se lembre e ligue, mande mensagem, etc.

Já tive as fases de ODIAR fazer aniversário (já escrevi post a respeito, quem achar me avisa que coloco o link aqui, no momento apresento preguiça de realizar tal tarefa), hoje, já tendo cruzado o Cabo da Boa Esperança, estou bem mais tranquila quanto a isto.

Fazer aniversário significa que SOBREVIVEMOS aos 7x1 diários existentes na vida de qualquer um que habite Terra Brasilis, só isto já é sinal de vitoria. E envelhecer te traz algumas benesses, sabia? A gente aprende a let it go mais fácil de coisas e discussões e pessoas e situações que, FRANCAMENTE, acrescentam ZERO à nossa existência. Algo como uma seletividade que vem junto às cãs. Acho que a gente cansa, sabe? De ficar se desgastando com coisa que simplesmente não-adianta. Aliás, acho que esta sabedoria também é importantíssima e vai se ampliando com o tempo: aprendemos a simplesmente não nos envolvermos com coisas que não adiantam. Eu, pelo menos, venho exercendo este know-how há um tempo. E me sinto muito orgulhosa de mim mesma por isto...

Fazer aniversário, depois de uma certa idade, te dá não uma carta em branco para você por nela o que quer, mas vejo mais como uma carta já toda escrita e rabiscada pelos anos anteriores onde você pode descartar, apagar, remover tudo o que não é seu, não te faz bem. E ISTO É LIBERTADOR! A gente acaba, sem querer, carregando muita corrente no decorrer da vida. Se libertar destas correntes faz bem pra pele e para a cabeça. E as reflexões que você faz enquanto dá aquela riscada básica em coisas que simplesmente NÃO-TE-FAZEM-BEM te leva a perguntas como "MDDC, ONDE EU ESTAVA COM A CABEÇA QUANDO FIZ ISSO??" ou então "MDDC, onde eu estava com a cabeça quando me envolvi com fulano?", ou então... vocês entenderam.

Estas reflexões podem ser extremamente uteis, porque quem não aprende História tende a repeti-la. (frase cultural do post do dia). A gente se libertar de correntes que nos prendem a coisas não positivas pode ser dolorido, por mais estranho que isto soe, mas pode demonstrar também como repetimos ciladas atrás de ciladas e não percebemos.



Estou feliz e em paz, quem me conhece sabe. Aceito as coisas mais facilmente, e não, esta frase não é a antítese do que escrevi no parágrafo acima. Quero dizer aqui que não fico mais criando empecilhos para coisas que simplesmente não controlo e que ocorrem. "aceito" que elas existem e vejo o que fazer com elas. Novamente, diria que tento fazer a melhor limonada possível com os limões que aparecem em meu caminho ;-)

(Quero agradecer aos deuses pela paciência, e a meu anjo da guarda pelo trabalhão que sempre dei a ele! Brigada migos, e peço que não desistam de mim).

Vamos em frente, e este post acabou sendo sobre um único assunto. Quero parabenizar a todos pela paciência, e desejar a todos os que estão lendo este texto e a seus amados muita SAÚDE! Que todos vocês sejam muito felizes, sempre! (E sim, desejo isto de coração a vocês, mas também acredito que tudo o que fazemos nos volta em dobro... estou sendo um pouco egoista entao? SIM, ESTOU! Mim Deixa!)

Uma ótima semana a todos, e lembre-se: liberte-se das correntes que a gente escolhe pegar durante o caminho. METE UM DRACARYS NELAS! E siga em frente. Porque às vezes precisamos pegar os limões dados pela Vida, a fanfarrona, e fazer limonada. Outras vezes caipirinha. O que não vale é passar os limões nos olhos, ne? Isto é o mesmo que perder jogando em casa com 3 a mais em campo, e o juiz nos ajudando na arbitragem. Fazendo gol contra.

Ai não né... Ai nao...

quinta-feira, 22 de junho de 2017

sim, este blog ainda existe...

OI GENTIIIII TUDO BEM COM VOCES? (leia imaginando as vozes das blogueiras que estão super na moda e invariavelmente começam seus videos com variações do escrito ai acima...).

Nossa, faz tempo né? Como não sabemos quando aqui voltaremos (rimou, que cafona), faremos deste um post multifuncional: trataremos de vários assuntos, então dá uma chance pra tia porque né, vai que você gosta de algum...

(se eu fosse youtuber neste momento pediria para você curtir, dar like, compartilhar, divulgar, e se inscrever no canallllllll, só que pro bem geral da nação sou das antigas, das escritas, então vamos)

vocês já assistiram a nova temporada de House of Cards? SPOILER ALERT EM TODOS OS MOMENTOS, OK? Então, achei meio fuén. Sou team Frank Underwood forever, mas mesmo assim achei meio lento a 5ª temporada. Isto significa que se tiver a 6ª nós não assistiremos? JAMAIS! Veremos todas, porque ter vida social é para os fracos!

Winter is coming, ou melhor, a 7ª temporada de Game of Thrones. Eu sou da casa Mormont, Lyanninha me conquistou na última temporada <3. E sim, continuo esperançosa que a Melisandre, vulgo tia Mel para os íntimos, renasça das cinzas o Ned Stark, que virou amigo do Nick sem Cabeças do Harry Potter RI DA PIADA GENTE!

Quer dica de filmes para ver? Ok, eu m-o-r-r-i de rir com os Guardiões da Galáxia 2. I AM GROOT num nível tal que SIM, EU COMPREI O BONEQUINHO (idosa, esclerosada, mas com toy arts mim deixa). Quero ver o A-Múmia-com-Tom-Cruise. Sei não, acho uma combinação um tanto quanto esdrúxula, mas já que não bebo, ENGOV será usado em casos de necessidade.

Também não vi Mulher Maravilha. Sei lá, para mim, que ainda estou sobre efeito <333 de Logan, e vi também o Capitão América com o mocinho lá da mão de ferro, não sei se estou muito nas vibes de ver Gal Gadot sendo linda. To be watched...

VOCÊS TEM QUE VER UM HOMEM CHAMADO OVE! Depois de verem (e chorarem), leiam o livro. Sério, nesta ordem! o livro é SENSACIONAL! Ah, este filme se passa na Suécia, e eu não sei vocês, mas gosto de seriados/filmes que fogem do "de sempre". Vale MUITO a pena. Se não gostar, vê isso aí direito porque você não tá bem não...

Li também o livro do Matheus Leitão, o EM NOME DOS PAIS, onde ele faz um jornalismo/pesquisa e vai atrás de informações do período em que seus pais foram presos e torturados durante a ditadura. Vai ver fui influenciada pela vibe dOs Dias Eram Assim, que confesso tô achando muito melodramático para o meus gosto (o seriado, não o livro). O livro é MUITO bom. MESMO. Pode por na sua listinha também, te garanto que você se surpreenderã.

Vi o filme do Plano Real. Confuso. O livro é melhor, e se você ler o livro da Miriam Leitão (sim, mãe do Matheus citado acima) de capa amarela AI GENTE ESQUECI O NOME DO LIVRO É O DE CAPA AMARELA DE UNS 4, 5 ANOS ATRÁS ele te ajudará a entender melhor o filme. O livro do Fiúza, no qual o filme se baseou? Creiam, este a titia passou reto...

Eu vi muito mais coisa, li muito mais livros, só que queria aproveitar este pedacinho aqui e desabafar. Desabafar o que, titia? Desabafar que as pessoas estão loucas. Dominadas pela cegueira seletiva, defesa seletiva, ideias seletivas... a palavra é seletividade. Ser seletivo pode muitas vezes nos levar a uma LIMITAÇÃO. E limitações auto-impostas, sei lá, para mim é o mesmo que perder casa, com torcida a favor, time adversário com 8 jogadores em campo eeeee goleiro com dificuldades de visão.

Mas escolher entre a pílula azul e a vermelha sempre foi algo pessoal, né, mores... E escolher demanda, também, um cadinho de coragem ;-)

Nossa, muito, muito mais a escrever, mas o pão precisa ser ganho antes de ser posto à mesa.

Até a próxima, pessoal, ou como diria o Pernalonga ===> That´s all, folks!

💓

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Prioridades, Empatia e Solidariedade

FELIZ ANO NOVO! Sim, sei que amanha já é MARÇO O_O, mas como a tia só reapareceu agora, o que vale é a intenção, não é mesmo? Então um ÓTIMO 2017 para todos, e que seja melhor do que foi o ano passado OREMOS.

Sei que estou sumida, mas é a vida lá fora, né mores? E a tia não é teenager nem tá com a vida ganha, então tenho que ir lá fora ganhar o pao de cada dia (credo, que piegas, quase escorreu uma lagriminha de canto de olho aqui). Tentarei postar a cada 15 dias, quem sabe? É bom porque não estou na terapia e aqui pelo menos dou uma desabafada. Talvez, com sorte, mais alguém pense como eu e eu não me sinta uma deslocada do mundo todo.

Como tem muito tempo desde o último post, inviável tentar por tudo em dia. Sim, tento acompanhar TUDO o que ocorre mundo afora, e mais ainda => tento ler diversos pontos de vista distintos para então tentar concluir algo. E ah, como concluo...

Mas quero aproveitar este O RETORNO ao CCQ tão abandonado para discorrer sobre alguns acontecimentos. Acompanhe (não desiste de mim, gente, sou carente).

Começando pelo Carnaval. Acho todas as escolas maravilhosas, não fui em bloco algum, sou solidária aos bairros onde tem bloco e o morador sofre, sou solidária aos que aproveitam estes dias para soltar as frangas como achar melhor. PORÉM, foco nos acontecimentos trágicos que se deram com algumas escolas do Rio de Janeiro tão lindo...

Amores, pessoas ficaram prensadas pelo carro de uma escola no domingo de Carnaval. E a festa prosseguiu. Na segunda, um carro “implodiu” com várias pessoas em cima, e alguns estavam preocupados com a evolução, harmonia, etc. Alguns continuaram dançando como se nada tivesse ocorrido (li de tudo na minha TL do twitter: desde “paguei a fantasia”, “o ocorrido não foi comigo então vou aproveitar”, “a vida continua”, etc). SUSPIRO PROFUNDO NESTE MOMENTO. Ah, teve um carro que também apresentou problemas em uma parte e uma destaque caiu (me esqueci do nome da escola, se alguém se lembrar me avise).



MEU PONTO: estes ocorridos TEM que ser pegos como ponto de partida para analisar que ALGO ESTÁ ERRADO, MUITO ERRADO, e deve ser corrigido antes de haver algum vítima fatal, e da questão que pode ser resumida em uma palavra: EMPATIA. Ou falta dela, em vários casos...

Analiso os ocorridos por este lado. Não foi comigo, então sigo festejando. Eu paguei, então prossigo alheio à dor do próximo. Não importa a justificativa, mas eu fecho os olhos à dor alheia e prossigo alalaô. NÃO IMPORTAM OS MOTIVOS, tudo converge para um ponto: A FALTA DE EMPATIA ANTE A DOR ALHEIA. A DIFICULDADE! O PROBLEMA!

Ah, mas é a vida deles, eles trabalham o ano todo... VEJA PELO ESPECTRO AMPLO E COLETIVO: TINHA GENTE MACHUCADA, SANGRANDO, ALGUNS COM TRAUMATISMOS SEVEROS, e alguns preocupados com... bem, pela minha cartilha, com BOBAGENS.

COMO QUERER ARRUMAR TUDO E TODOS SE NÃO CONSIGO TER EMPATIA COM O QUE ESTA SOFRENDO E, PASMEM, PROXIMO A MIM?

Talvez tenhamso que encontrar um denominador comum, e penso se isto não deveria ser prioridade zero. Entao para e pensa: já teve alguma situação onde pessoas próximas a você estavam em dificuldades? O que você fez? Seguiu alegre? Ou foi solidária?

Sei que está gigantesco, e hoje é terça de carnaval e ainda não fiz o almoço. Mas pare e pense se nós não estamos com as prioridades tudo meio bagunçadas. Se a falta de empatia para com o próximo não denota também falta de solidariedade? (SE NÃO ESTAMOS TODOS DOENTES?)


Não acho que esteja certa, até porque sei que tem gente que pensa bem diferente de mim. Fica a reflexão referente às nossas prioridades, empatias e solidariedades... Porque em um país com tantos problemas, talvez a forma de tentar reiniciar seja cada um fazendo uma auto-análise para identificar nossas características. 

O problema seja talvez descobrir o que encontraremos ao realizarmos este exercício...

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

pessoas chatas ou donas da verdade - você conhece alguém assim

Há uns dias batia um papo virtual com a @moscanasopa, e do nada começamos a falar sobre casos semelhantes: pessoas que conhecemos e que SEMPRE tem que ser o foco de tudo. Você conhece alguém assim?

Não entrarei nos ditames daqueles que são simplesmente chatos, porque esta categoria de serumaninho existe. Tem gente que é simplesmente... chata. Para e pensa dois segundos: aposto que você se lembrará de alguém que tem vários troféus de chato espalhados pela estante da sala de casa.

E se você parar para pensar também, você conhece alguém nesta categoria de "chato" que citei ali no primeiro parágrafo. Já reparou que tem gente que SEMPRE tem que ser o foco de tudo, ou então aquela subdivisão em que ela SEMPRE tem que ter o pior caso, o pior exemplo, tudo acontece com ela ou ela está metida no meio? Parece até que há uma competição para ver quem tem o algo pior, o algo mais bombástico, etc...

Pois eu conheço várias pessoas assim. A @moscanasopa falou de uma pessoa que ela conhecia, e coincidentemente naquele dia eu tinha topado com aquela exu pessoa que sempre tem que opinar, se inserir, ganhar. Não está entendendo?

Não sei como surgiu o assunto, e ela falando que "quem tinha tal dor nas costas era assim e assado". Dai uma senhora que tinha exatamente aquilo que ela estava falando (acho que era hérnia de disco), inclusive tinha operado isso, o marido também tinha e também tinha operado disso e, pasmem, o filho dessa senhora também tinha a coisa e tinha operado disso resolveu simplesmente na educação dizer que não era assim na prática e, enfim, explicou como se dava a coisa.

Pois a pessoa-dona-da-razão começou a aumentar o tom de voz, abrir os olhos, parecia que estava incorporando uma entidade CRUZES. A senhorinha apenas disse "você já operou disto? Porque eu, meu marido e filho operamos". Pra que... A PDDR (usarei agora ao invés de sempre digitar pessoa-dona-da-razão) começou a BERRAR ESTREBUCHAR "POIS O MEU MÉDICO QUE É O MELHOR DISTO ME EXPLICOU ISTO E AQUILO E DISSE ISTO E AQUILO E É ASSIM E...".

A senhorinha apenas perguntou de novo, elegantérrima, chiquérrima, cara de rica lacradora (porque se fosse eu já estaria lutando para não esfregar a cara daquela prepotência de duas pernas no asfalto): "você operou disto?"

E a PDDR repetiu NÃO NÃO OPEREI MAS O MEU MÉDICO.....

Eu só respondi assim: "entidade, o que você está dizendo é o mesmo que dizer que "eu sei nadar porque fiz curso online via internet. No mínimo respeite a senhora e a estória de vida dela e da família que já passou por isto."" Claro que eu virei para a senhorinha e falei "vem comigo porque essa ai não vale a pena" E FALEI ALTO MESMO PRA PDDR OUVIR PORQUE EU NUNCA DISSE QUE PRESTAVA E AHHHH ME POUPE... asna prepotente!

Este foi apenas um exemplo. Perceba que tem gente que SEMPRE tem que ter razão, SEMPRE tem que estar certo, dar a última palavra, ser o foco da certeza e razão e correto do mundo. Conhece alguém assim? Aposto que sim!

Então, se você for uma destas pessoas, saiba que você é c-h-a-t-a (escrevo chata em respeito aos leitores menores de idade deste blog). Ninguém suporta pessoa assim. O que você acha do mundo é problema seu. NINGUÉM QUER SABER SUA OPINIÃO SOBRE COISA ALGUMA A NÃO SER QUE TE PERGUNTARAM!

E se você começar a querer ser PDDR comigo, já te digo os sinais de que APENAS PARE => 1- tentarei educadamente falar "miga, mas...", se não surtir efeito, tentarei 2- ser educada e falar "ok" mais para acabar com o assunto mesmo. E se você continuar falando, há uma grande chance de eu sair andando sem nem olhar para trás, ou começar a mexer nas cutículas, ou mentalmente cantar várias músicas enquanto reviro os olhos. Assim:


"Nossa, mas e se você estiver sendo a mala sem alça dona da razão?" Neste caso, pode me avisar. É só começar a mexer os braços tipo bonecão de postos enquanto grita PDDR PDDR PDDR... Juro que entenderei a dica. 

E se eu estiver mala demais da conta, saia de perto. Ás vezes estou pagando na mesma moeda com aquele com quem converso. Porque como diria a @boaflipper, "eu pareço legal, mas eu canto em prova de resistência".

Meu jeitinho...